quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Capítulo um do livro o Espírito de Liderança, Myles Munroe (tradução independente do inglês) parte III

Capítulo um do livro o Espírito de Liderança, Myles Munroe (tradução independente do inglês) parte III

 Parte III

PROJETADO PARA DOMINAR NOSSO AMBIENTE
Potencial é o ponto fundamental para entender nossa liderança e capacidade como seres humanos, portanto, deixe-me oferecer uma definição um tanto técnica do nosso motivo para estar vivo. Tenho uma firme convicção que está impregnado na natureza de cada humano controlar o ambiente e as circunstâncias. Cada um de nós foi criado para dominar, governar, controlar, gerenciar e educar nosso ambiente de influência.  Estás dentro de cada um de nós ser um líder, não importa quem você é, independentemente de se você o manifesta ou não essa capacidade.  Se você é rico, pobre, jovem, velho, masculino, feminino, preto, branco, cidadão de uma nação desenvolvida ou cidadão de uma nação de terceiro mundo, educado, ou sem educação - você tem a natureza e a capacidade de liderança.


No entanto, você pode cumprir seu potencial de liderança inerente somente quando você descobre, compreende, desenvolve e começa a exercitar quem você foi projetado para ser e a natureza do seu verdadeiro potencial de liderança. Não importa se você é o CEO de uma grande corporação, professora, dona de casa, dono de um pequeno negócios, um trabalhador da construção civil, um artista, um funcionário público, autônomo, fazendeiro, estudante, médico ou qualquer outra vocação ou posição na vida: a auto descoberta do seu inerente potencial de liderança é uma compreensão de quem você é e o que você pretende ser são as chaves para cumprir seu propósito para a existência como um líder.


Título, posição, poder, notoriedade, fama ou nome de família não pode fazer de você um verdadeiro líder. Por exemplo, você pode contratar alguém como gerente em uma empresa. Você pode dar-lhe um título, orçamento, mesa, pessoal e tudo mais. Mas então suponha que ele não tome a iniciativa, não resolva os problemas sozinho, nem procure melhores maneiras de realizar tarefas ou melhorar os sistemas, ou entender como funciona a parte de gestão pessoal, se ele não esta tentando romper os limites ou explorar novos conceitos e ideias, simplesmente faz somente o que é mandado e procura não perturbar a política ou desafiar métodos antigos e desatualizados. Isso não é liderança.


Em essência, existem algumas atitudes únicas de líderes que os distingue dos seguidores e essas atitudes produzem certos comportamentos que levam o líder além dos limites do normal, são essas atitudes que nós vamos chamar de o "espírito de liderança".


Portanto, não se conforme com sua posição de seguidor e desenvolva o seu inerente potencial de liderança. Conhecer e cultivar certas atitudes dará a você a mentalidade que você precisa para desenvolver seu potencial de liderança ao máximo e realizar o que você nasceu para ser e fazer.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Capítulo um do livro o Espírito de Liderança, Myles Munroe (tradução independente do inglês) parte II

Espirito de liderança myles munroe

Parte II

Enquanto eu estava sentado ouvindo esta história fantástica, mergulhei na revelação dos princípios profundos inerentes a verdadeira liderança e o processo crítico que envolve descobrir e se tornar seu verdadeiro eu. Deixei aquela vila com uma compreensão mais profunda de o porquê é tão difícil para muitos indivíduos fazer essa transição através do rio para o seu verdadeiro eu, entendi que essa mudança duradoura poderia ocorrer somente quando mudamos nossos paradigmas mentais e padrões de pensamentos formados. Sem essa metamorfose, nenhuma quantidade de treinamento, estudo ou educação poderia transformar um seguidor em um líder. Em essência, uma atitude convertida é a chave para uma vida transformada. Até que esta mudança de atitude aconteça, o leão ainda pensa, age, responde e vive como uma ovelha em vez do rei da selva.



Uma decisão que muda seu futuro




Assim como o grunhido genuíno do jovem leão revelou sua força inerente, você pode liberar a liderança inerente interna quando você compreende a força do seu verdadeiro eu. Assim como o jovem leão assistiu a besta se afastando e sabia que ele tinha que tomar uma decisão sobre o seu futuro, você pode escolher sobre o seu próprio futuro. Assim como o jovem leão olhou para a fazenda onde as ovelhas estavam e depois olhava para a floresta onde os leões estavam indo, você deve avaliar o seu passado e seu potencial e o passo em direção a uma ou outra margem. Assim o jovem leão sabia que devia fazer uma escolha para se tornar seu verdadeiro eu, ele iria ter que desistir do estilo de vida seguro, estável, previsível e simples da fazenda e entrar no estilo de vida, assustador, selvagem, indomável, imprevisível e perigoso da selva, você terá tomar uma decisão de deixar os limites seguros de ser um seguidor se você estiver tornar-se um verdadeiro líder. Assim como o jovem leão virou as costas para a fazenda, atravessou o rio e entrou na floresta – deixando para trás sua vida antiga como uma ovelha e embarcando na vida que nasceu para viver - então este livro foi projetado para desafiar você atravessar seu próprio rio de intimidação e medo e entrar na floresta do espírito de liderança, que você foi criado para manifestar, como alguém que teve que atravessar esse rio, meu é o desejo de ser um catalisador como uma fera eu urro em convite que desperte a verdadeira vida que está em seu coração, esperando, ajudá-lo a entrar na aventura de descobrir e liberar o espírito de liderança que existe dentro de você.


O PODER DA ATITUDE



Não há nada tão poderoso como a atitude. Atitude dita sua resposta ao presente e determina a qualidade do seu futuro. Você é sua atitude e sua atitude é você. Se você não controla sua atitude, será controlado por ela. Atitude cria seu mundo e projeta seu destino, ela determina seu sucesso ou fracasso em qualquer empreendimento. Mais oportunidades foram perdidas por causa de uma atitude errada do que por qualquer outra coisa. A atitude é mais poderosa do que a beleza, poder, título ou status social. É mais importante do que a riqueza - e pode nos manter pobre por toda a vida. Ela é o servo que pode abrir as portas da vida ou fechar as portas da possibilidade, pode tornar a beleza feia e feiura atraente. O fator distintivo entre um vencedor ou um perdedor é a atitude. A diferença entre um líder e um seguidor é a atitude.


O que é a atitude? Vamos discutir este tópico em detalhes em próximos capítulos, mas por agora me deixe simplesmente definir atitude como "a mentalidade ou condicionamento mental que determina nossa interpretação e resposta aos nossos desafios”. É nossa maneira de pensar.
 Também é importante entender que a atitude é um produto natural da integração de nossa autoestima, autoconceitos e senso de valor ou significado. Em essência, sua atitude é a manifestação de quem você pensa ser. Os líderes pensam de forma diferente sobre si mesmo, e isso os distingue dos seguidores. A história do leão e das ovelhas demonstra o poder da atitude. Vivemos nossas atitudes e nossas atitudes determinam nossas vidas. A diferença entre as atitudes de um leão e uma ovelha determinam seu lugar no esquema do reino animal. Talvez seja por isso que o Criador identificou-se nos livros do escritor hebraico Moises e em outros escritos com os temperamentos natureza únicos de certos animais.


Vivemos nossas vidas com base em quem pensamos que somos, de acordo com a ilustração, se você acredita no seu coração que você é uma ovelha, então você permanecerá no limite que outros o colocaram ou que você fez por si mesmo. Se você acha que você é um leão, então você irá se aventurar além das limitações feitas pelo homem e embarcar na vida de liderança que você nasceu para viver. Você se tornará alguém que inspira e influencia outros dentro de seu domínio inerente. Nenhuma quantidade de treinamento em habilidades de liderança, cursos em métodos de gestão, títulos de energia, promoções ou associações pode substituir as atitudes corretas. Estou convencido que todo o dinheiro no mundo pode torná-lo rico, mas isso nunca poderá fazer de você um líder. Seu desenvolvimento de liderança é determinado pelas suas percepções de quem você é o por que você existe - em outras palavras, seu senso de significado para a vida.

Capítulo um do livro o Espírito de Liderança, Myles Munroe (tradução independente do inglês) parte I

Capítulo um do livro o Espírito de Liderança, Myles Munroe (tradução independente do inglês)
CAPÍTULO UM

Preso dentro de cada seguidor existe um líder oculto.

Um exército de ovelhas liderado por um leão sempre derrotará um exército de leões liderado por uma ovelha. Esta declaração captura o espírito deste livro. Este conceito tornou-se real para mim durante uma das minhas viagens ao continente berço da humanidade a África. No território africano estava quando ouvi uma história que considero o elo perdido no processo de desenvolvimento da liderança.


Era um dia ensolarado e agradável na movimentada e moderna cidade de Harare, a capital da nação do sul da África o Zimbábue. Tinha terminado de palestrar em uma conferência no centro do Harare Hilton para mais de 5.000 líderes. Fui o convidado de uma das maiores organizações comunitário da nação para oferecer treinamento de liderança e sessões motivacionais para líderes aspirantes e experientes. Esta era a nossa última sessão após mais de sete dias de apresentações e no final da sessão, meu anfitrião perguntou se não consideraria a possibilidade de ir à outra cidade para falar a outro grupo de líderes que expressaram o desejo de que eu fosse até eles, concordei com prazer, e foram feitos arranjos para ir com meu motorista (que também serviu como meu intérprete). No alvorecer da manhã seguinte (às seis horas) partimos, dirigimos por duas horas e deixamos a moderna cidade entrando em estradas não pavimentadas, aldeias empoeiradas e densas florestas verdes. Quando pensei que estivemos prestes a chegar, meu motorista comunicou que ainda tínhamos mais duas horas para chegarmos à aldeia, só então percebi que estávamos indo para uma experiência de safari. Depois de emaranharmos em uma densa selva finalmente avistamos uma clareira. Havia um grupo de crianças que de repente que surgiu cantando euforicamente, como se eles acabassem de experimentar o fim de uma longa expectativa.


Quando chegamos um grupo de homens felizes surgiu de uma grande cabana de palha. Eles foram liderados por um homem gentil com um sorriso acolhedor e vestindo roupas simples. Nós o abraçamos, e ele me convidou para entrarmos em uma choupana de taipa com cobertura de capim onde mais de trezentos homens e mulheres sentaram esperando ansiosamente para que nós começássemos a sessão de ensino. Eu fui profundamente humilhado pela fome e paciência destas belas pessoas, e eu lhes dei meu melhor, foi uma alegria ser tão bem recebido. Após a sessão, o chefe da aldeia me convidou para um jantar especial em minha honra onde foi oferecido o melhor da tradicional comida cultural da vila e a apresentação de algumas pessoas. Foi durante esta refeição que o chefe me contou a história que me ensinou uma lição de liderança que jamais irei esquecer.


Um leão entre Ovelhas

Houve uma vez um fazendeiro que morava nesta aldeia e também era um pastor de ovelhas. Um dia, ele levou suas ovelhas para o pasto, e enquanto elas estavam pastando, ele ouviu um barulho estranho vindo de um pedaço de grama, que primeiro soou como um gatinho. Conduzido por sua curiosidade, o pastor antigo foi ver o que era a fonte desse som insistente, e para sua surpresa, ele encontrou um filhote de leão perdido, obviamente separado de sua família. Seu primeiro pensamento era o perigo em que ele ficaria se ele ficasse muito perto do filhote e seus pais retornassem. Então o velho rapidamente deixou a área e observou a distância para ver se a Leões-pais retornariam. No entanto quando o sol começou a se por e nada dos leões-pais o pastor decidiu que a melhor coisa para a segurança e sobrevivência do filhotinho era o levar para o sua fazenda e cuidar dele.


Nos oito meses seguintes o pastor alimentou o leãozinho com leite fresco e manteve-o aquecido, seguro nos limites da proteção da fazenda. Depois que o filhote cresceu brincalhão e enérgico em sua estrutura muscular, ele decidiu o levar diariamente para pastar com as ovelhas. O filhote de leão cresceu com as ovelhas e tornou-se parte do rebanho, elas o aceitaram como semelhante e ele se comportava como uma delas. Depois de quinze meses passado, o filhote se tornou um leão adolescente, mas ele agia, balia e comportava como uma das ovelhas. Em essência, o leão se tornou uma ovelha por associação, ele perdeu sua identidade e se tornou uma delas.
Quatro anos depois, em um quente dia o pastor sentou-se numa pedra, refugiando-se na leve sombra de uma árvore sem folhas. Ele assistia o seu rebanho enquanto caminhavam para as águas tranquilas de um riacho. O leão que pensava que era uma ovelha seguiu elas para a água. De repente, do outro lado do rio, apareceu do espesso mato da selva uma grande besta que o ele nunca tinha visto antes. As ovelhas entraram em pânico e, como se sob o feitiço de algum instinto de sobrevivência, pularam na água e correram em direção à direção da fazenda. Elas não pararam até que todos estavam bem abraçados atrás da cerca do curral, estranhamente, o filhote de leão, que agora era um leão crescido, também estava escondido com as ovelhas, aterrorizados pelo medo.


Enquanto o bando covarde estava em segurança na fazenda, a besta fez um som que parecia agitar a floresta. Quando ele levantou a cabeça acima da grama alta, o pastor podia ver esse animal segurando em sua boca ensopada de sangue o corpo sem vida de um cordeiro. O homem sabia que o perigo rondava essa parte da floresta. Sete dias se passaram sem mais incidentes, e depois, enquanto o rebanho passava, o jovem leão desceu ao rio para beber. Quando ele se inclinou sobre a água, de repente entrou em pânico e correu violentamente em direção à fazenda e se pôs em segurança. As ovelhas não correram e elas se perguntavam por que ele tinha corrido, enquanto o leão se perguntava por que as ovelhas não haviam corrido desde que ele havia visto o animal de novo. Após um intervalo o jovem leão voltou lentamente para o rebanho e depois para a água. Mais uma vez, viu a besta e congelou em pânico. Era o seu próprio reflexo na água.


Enquanto ele tentava entender o que estava vendo, de repente, a besta apareceu novamente na selva. O rebanho correu com velocidade vertiginosa em direção à fazenda, mas antes do jovem leão poder se mover, o animal entrou na água em sua direção e fez aquele som ensurdecedor que encheu a floresta. Por um momento, o jovem Leão sentiu que sua vida estava prestes a terminar. Ele percebeu que não via apenas uma besta, mas duas na água bem a sua frente. Sua cabeça estava girando em confusão quando o animal veio a menos de dez pés dele e rosnou para ele cara a cara com um rugido assustador e poderoso de uma maneira que parecia dizer-lhe: “Experimente e venha e siga-me”. À medida que o medo agarrou o jovem leão, ele decidiu tentar apaziguar a besta e fez o mesmo som. No entanto, o único ruído que veio de interior era o balido de uma ovelha. A fera respondeu com um estourar ainda mais alto que parecia dizer: "Experimente novamente”. “Depois de sete ou oito tentativas, o jovem leão de repente ouviu-se fazer o mesmo som que a besta”. Ele também sentiu agitação em seu corpo e sentimentos que ele nunca tinha sentido antes. Era como se estivesse tendo uma transformação total em sua mente, corpo e espírito. De repente, estavam na beira do rio dois animais grunhindo entre eles. Então o pastor viu algo que ele jamais esqueceria. Como os sons bestiais preenchiam a floresta por milhas e milhas, a grande fera parou, virou as costas para o jovem leão e começou ir em direção à floresta. Então ele fez uma pausa e olhou para o jovem leão mais uma vez e rosnou, como se dissesse: "Você está vindo?"


Jovem leão sabia o que o gesto significava e de repente percebeu que seu dia de decisão havia chegado - o dia em que ele teria que escolher continuar a viver a vida como uma ovelha ou para ser que ele tinha descoberto que era. Ele sabia que, para se tornar seu verdadeiro eu, ele teria que desistir da vida segura, estável, previsível e simples da fazenda e entrar na vida assustadora, selvagem, indomável, imprevisível e perigosa da selva. Foi um dia para se tornar fiel a si mesmo e deixar a imagem falsa de outra vida para trás. Foi um convite para uma "ovelha" se tornar o rei da selva. Mais importante ainda, foi um convite para o corpo de um leão possuir o espírito de um leão. Depois de olhar para trás e para frente na fazenda e na selva algumas vezes, o jovem leão virou as costas para a fazenda e as ovelhas com quem ele viveu aqueles anos, e seguiu o animal em direção a floresta para se tornar quem ele sempre foi - um rei leão.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Introdução do livro o Espírito de Liderança, Myles Munroe (tradução independente do inglês)

Introdução do livro o Espírito de Liderança, Myles Munroe (tradução independente do inglês)

Introdução
A liderança é uma atribuição de confiança dado pelos seguidores. Não há nada tão evasivo quanto à liderança. Todo dinheiro no mundo pode torná-lo rico, e todo o poder no mundo pode torná-lo forte, mas essas coisas nunca podem fazer de você um líder. Você pode herdar uma fortuna, mas nunca liderança. No entanto, não há necessidade maior em nosso mundo do século XXI do que a eficaz e competente Liderança. Nosso maior desafio é o de uma liderança que preencha o vácuo.  A necessidade número um do mundo hoje não é dinheiro, programas sociais ou mesmo novos governos, o que mais precisamos é de liderança de qualidade, moral, disciplinada e centrada em princípios.
Precisamos de uma verdadeira liderança em nossos governos, negócios, escolas, instituições cívicas, comunidades juvenis, organizações religiosas, casas e em todas as áreas da vida, incluindo as disciplinas de direito, medicina, ciência, esportes, e a mídia. No entanto, a busca de liderança genuína tem se tornando mais difícil.

ONDE ESTÃO OS LÍDERES VERDADEIROS?
As águas complexas, incertas e inexploradas do século XXI nos mergulharam em um mundo de globalização, terrorismo, incerteza econômica, fome, doenças epidêmicas, transformações sociais, desafios corporativos, experimentação moral e ética, conflitos religiosos e conflitos culturais. Essas condições exigem a mais alta qualidade de liderança que nossa geração pode produzir. No entanto, eu tenho estado nos corredores dos governos e observado as lutas dos líderes de hoje, me sentei ao redor da mesa e conversei com presidentes de países, e eu os ouvi expressar suas incapacidades de lidar com os desafios de suas nações, conversei com ministros dos governos em torno do mundo, e eles abertamente pedem ajuda, assistência e conselhos. Muitos líderes simplesmente não sabem mais o que fazer.

Esta crise de liderança está nas mentes de muitas pessoas hoje, fala-se sobre integridade moral, honra, valores, modelos a seguir e padrões respeitáveis esses são tópicos de discussão e vem acompanhado de muitos novos programas, não limitando-se as intelectuais pois também estão nos pensamentos dos incultos. Nós ouvimos falar de líderes que têm escapadas sexuais, ouvimos falar de magnatas dos negócios caindo pelas dezenas de corrupção, vemos líderes nacionais e seus membros de gabinete sendo tentados por seus próprios governantes para roubar e agir com uma má conduta financeira, vemos sacerdotes abusando de sua autoridade e posições para se aproveitar daqueles a quem eles foram encarregados de cuidar. Onde estão os verdadeiros líderes de hoje?

Acredito que o problema é que a liderança tornou-se um papel que se desempenha em vez de um estilo de vida. Os lideres Contemporâneo estão tentando divorciar suas vidas pessoais de suas responsabilidades públicas, sua vida privada de suas vidas públicas. Para muitos, a liderança é um ato, não um chamado. Portanto, quando eles estão em seus escritórios, eles agem de certo modo, mas quando eles saem, eles levam duas vidas. Esta é uma contradição da verdadeira liderança. A liderança não é uma técnica, um estilo ou a aquisição de habilidades, mas uma manifestação de um espírito.
Muitas instituições, empresas Fortune 500, governos, agências, organizações cívicas e entidades sem fins lucrativos passam bilhões de dólares todos os anos treinando milhares de possíveis líderes em técnicas de gestão, manipulação humana, habilidades, sistemas organizacionais, métodos de controle e persuasão, e muito mais, na esperança de produzir potencialmente os melhores líderes. No entanto, tais seminários não podem produzir verdadeiros líderes. Além disso, a qualidade e os padrões dos líderes não estão sendo elevados, mas sim estão diminuindo.

As prateleiras de todas as livrarias estão empilhadas com livros sobre o tema da liderança. Alguns prometem transformação instantânea do seguidor em líder, enquanto outros vendem ideias baratas que visa criar líderes pela aplicação de Psicologia superficial e princípios desgastados que frustraram aqueles que investem neles. A Pesquisa sobre como ser um líder continua pelos gurus da liderança, colégios e universidades adicionam cursos especiais projetados para produzir ou melhorar o quadro de líderes. No entanto, acredito que todos os cursos universitários em liderança nunca pode tornar uma pessoa um líder.

Muitos dos que idolatramos como líderes em nossas sociedades modernas nos decepcionaram e mostraram-se fracos, as inconsistências anteriormente escondidas foram expostas. Apenas a menção da Enron, WorldCom, Tyco, Martha Stewart, Richard Nixon, Bill Clinton e muitos padres católicos contam à história de nossa cultura de liderança defeituosa. Defeitos morais; abusos de poder, privilégio e confiança; Uso indevido de recursos; corrupção; A hipocrisia se tornou sinônimo de liderança nos dias de hoje talvez mais do que em qualquer outro momento da nossa história. Moralidade, ética, princípios, convicções, padrões, fidelidade, transparência, confiabilidade e honestidade são Commodities raros no campo da liderança contemporânea.
Por que a verdadeira liderança é tão difícil de encontrar?

NOSSA CULTURA A CHAVE DE LIDERANÇA
Um dia, quando me mudei para o meu lugar em uma viagem de avião para Dirigir-se a um grupo de líderes sobre ética e moral em liderança, Fiquei chocado ao descobrir, na cópia da americana revista Way no bolso do meu assento, um artigo de Joseph Guinto com este título: "Mentir, trapacear e roubar seu caminho até o topo". A legenda dizia: "Todo mundo está fazendo isso, certo? Mas quanto a nossa cultura de engano realmente nos custa, e onde e terminaremos? "Obviamente, esse assunto me chamou a atenção e eu mergulhei na leitura do conteúdo. O artigo expôs e detalhou a o pensamento corruptor trapaceiro na cultura em todos os níveis da sociedade ocidental, incluindo os mais altos cargos de liderança, e falou sobre o "efeito de corrupção gotejante" ocorrendo. Aqui estão alguns fatos contidos no artigo que considero dignos de nota:
"O roubo de funcionários é um dos crimes de crescimento mais rápido nos EUA ... o custo total da fraude ocupacional – principalmente esquemas contábeis - foi de US $ 600 bilhões em 2002 ... o dobro do que foi em 1997. "O artigo disse que um dos resultados dessa corrupção generalizada é seu efeito na mentalidade dos futuros líderes de negócios. Um professor de ética em uma escola de negócios de topo disse: "[Os meus] alunos defendem a sua opinião de que alguns enganos são bons, dizendo: "Todo mundo faz isso.

Esta é a cultura e o ambiente de liderança que permeia nosso mundo hoje, seja na política, religião, negócios, educação ou esportes. Estamos em necessidade desesperada de verdadeiros líderes competentes, de princípios, sensíveis, compassivos e espiritualmente conscientes.

O QUE FAZ UM LÍDER VERDADEIRO?


O que faz um líder? Como os líderes genuínos são produzidos? Quando alguém realmente se torna um líder? Tem alguma principio de liderança? Quais são as qualidades que distinguem líderes de seguidores? Este livro trata sobre a falta de ingredientes no desenvolvimento da genuína liderança. É sobre a conexão de talento, títulos e liderança. Liderança genuína não é resultado de memorização de fórmulas, habilidades de aprendizado, imitação de métodos ou treinamento em técnicas. É uma atitude do coração.

Prefácio do livro o Espírito de Liderança, Myles Munroe (tradução independente do inglês)

Prefácio do livro o Espírito de Liderança, Myles Munroe (tradução independente do inglês)
Preso dentro de cada seguidor existe um líder oculto. A qualidade mais importante da verdadeira liderança é o espírito de liderança. Todos os seres humanos possuem Espírito de liderança, mas apenas aqueles que capturam o espírito de liderança são os que se tornam líderes verdadeiramente efetivos.
Nos últimos trinta anos tive o privilégio de falar com centenas de milhões de pessoas através da mídia e centenas de milhares pessoalmente em meus seminários, conferências e institutos de treinamento em mais de setenta nações. Meu foco é ajudar outras pessoas a descobrirem seu senso de propósito, maximizando seu potencial inexplorado e descobrir sua capacidade de liderança. Recebi milhares de testemunhos de como materiais, oficinas e seminários ajudaram muitos a encontrar suas visões, renovar seu foco e produzir uma vida melhor. Sinto-me lisonjeado e honrado pelo privilégio de ajudar outros a alcançarem seus objetivos pessoais e corporativos.

UM INGREDIENTE PERDIDO
No entanto, houve um desafio que eu tive por muitos destes anos: tentei entender por que, não importa quantos princípios, preceitos e programas que as pessoas foram ensinadas sobre  liderança, sempre parecia haver um ingrediente faltante que se tornava uma barreira que limitava a capacidade de liderança que eu sabia que existia dentro deles.
Eu tinha lido centenas de livros, artigos, revistas e trabalhos de pesquisa sobre o tema da liderança; participei de inúmeros seminários, conferências e cúpulas que lidam com desenvolvimento de liderança, mas nunca tinha consegui identificar, definir ou compreender completamente a chave do mistério que separa e distingui o líder do seguidor. Até que alguns anos atrás, durante uma das minhas sessões de liderança com um grupo de profissionais, empresários, religiosos, líderes governamentais e corporativos na Inglaterra, comecei a entender melhor esse mistério de liderança. Eu peguei essa visão de volta para minha casa em Nassau, Bahamas, onde fui capaz de estudar meus funcionários e membros da nossa organização para tentar esclarecer princípios específicos que tornem um líder diferente de seguidores. Este livro é resultado deste estudo e a subsequente aplicação desses princípios na vida de muitos dos meus alunos e clientes.

UMA REVELAÇÃO INTERNA
Simplificando, descobri que o pensamento de um líder é o que o separa dos seguidores, eu descobri que verdadeiros líderes se distinguem por uma atitude mental única que emana de uma descoberta internalizada de si mesmo, o que cria um autoconceito forte, positivo e confiante gerando uma elevada autoestima. Eu chamo essa atitude mental única do espírito de liderança. É uma atitude que reflete em toda a sua vida, e controla suas respostas à vida, perigo, crises, decepções, falhas, desafios e estresse, essa atitude dá ao líder uma sensação de confiança, fé, e crença nas possibilidades isso inspira outros a ter esperança, e faz com que o líder cultive um espírito de propósito, ousadia, paixão e convicção. Esse espírito de liderança nasceu no útero de uma revelação pessoal dentro do líder e manifesta-se em qualidades específicas e características. Neste livro, vamos ver como uma pessoa pode experimentar sua revelação pessoal de liderança, e identificaremos as qualidades especiais deste espírito.

A LIDERANÇA NÃO É UM CLUBE EXCLUSIVO PARA A ELITE
Juntos, descobriremos que a liderança não é o resultado De estudo ou ordenação, posição ou poder. O homem (humanidade) é essencialmente um ser espiritual e a natureza do espírito de uma pessoa dita à natureza que ele ou ela manifesta. Até que o espírito não é alterado, a pessoa permanece inalterada. Liderança, portanto, começa no espírito de uma pessoa. Quando o espírito de liderança ganha vida, produz uma atitude que separa o líder do seguidor.
É importante entender que a liderança não é um clube exclusivo para os poucos da elite que "nasceram com ele". Todo ser humano tem o instinto e a capacidade de liderança, mas a maioria não tem coragem ou vontade de cultivá-lo. O espírito chamado "homem" foi criado para liderar, mas o homem perdeu o espírito de liderança. Todos os seres humanos possuem o potencial de Liderar, mas a maioria perdeu a paixão da liderança. O objetivo deste livro é ajudá-lo a redescobrir e recuperar este espírito de liderança.
Há muitos que confundem a posição de liderança com a disposição de uma verdadeira liderança. Não importa qual é a sua posição, o status que tem em uma organização isto não crie automaticamente a liderança. A liderança genuína é uma disposição interna, que está relacionada com um senso de propósito, autoestima e autoconceito.
Outros confundiram a liderança com a capacidade de controle de outros através da manipulação das suas emoções, inspirando medos e necessidades. Mas a verdadeira liderança é um produto de inspiração, não manipulação.
Há aqueles que acreditam que o título faz o líder. No entanto, todos nós já vimos muitas pessoas que têm títulos proeminentes e impressionantes e ainda assim falharam miseravelmente porque não entenderam que a liderança real se manifesta no desempenho e nos resultados e não apenas nas etiquetas.
A verdadeira liderança vai muito além da mecânica da maioria das abordagens que permeiam nossos programas de liderança dos dias atuais. Tem mais a ver com descobrir um sentido de significado e o significado da vida. Essa distinção separa a liderança de qualidade da paixão e desejo pelo poder. Os verdadeiros líderes não procuram o poder, mas são impulsionados por uma paixão para alcançar uma causa nobre.
Estou convencido de que você foi criado para ser um líder de sucesso. Todo ser humano foi criado para liderar uma área de sua existência. Você não foi criado para ser oprimido, subjugado, subordinado ou deprimido. O Criador projetou cada ser humano para cumprir um propósito específico e atribuição em vida. Suas habilidades determina sua área de liderança. Dentro de cada um de nós há um espírito com um grande sonho que se esforça para libertar-se das limitações de nossas experiências passadas, circunstâncias presentes e dúvidas auto impostas.
Todos somos vítimas de paixões não cumpridas. Acredito a maior ignorância do homem é de si mesmo, o que você acreditar dentro de você cria seu mundo. Nenhum ser humano vive além dos limites de suas crenças. Em essência, você é o que você acredita: suas crenças são um produto de seus pensamentos, seus pensamentos criam suas crenças, suas crenças criam suas convicções, suas convicções criam sua atitude, sua atitude controla sua percepção e sua percepção determina seu comportamento. O resultado é que sua vida é o que você acha que deveria ser. Quando você pensa de acordo com o espírito de liderança, você começa o processo de tornar-se um líder. Este é o coração da verdadeira liderança: sua atitude, sua mentalidade, seu "espírito mental".

Algumas das atitudes ou qualidades únicas dos líderes incluem paixão, iniciativa, trabalho em equipe, inovação, persistência, disciplina, foco, gerenciamento de tempo, confiança, disposição positiva, paciência, paz e compaixão. Nós vamos explorar muitas dessas atitudes de liderança para que você possa descubra como cultivá-los em sua vida. Este livro é dedicado a ajudar você a recuperar a essência do seu verdadeiro potencial de liderança assim como desenvolver uma atitude mental que irá manifestar o verdadeiro espírito de Liderança.

PÉROLAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA

PÉROLAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA

Inácio viveu entre os anos 35 e 110 da era cristã. Fez elo entre as gerações do primeiro e segundo séculos do cristianismo. Escreveu cartas dirigidas as igrejas de Éfeso, Esmirna, Filadélfia, Magnésia, Trália, Roma e ao jovem bispo Policarpo.

Pouco se sabe da sua vida, exceto o fim dela. No início do segundo século (talvez por volta de 110 dC, durante o reinado do imperador Trajano), ele foi detido pelas autoridades imperiais, condenado à morte, e transportado para Roma para morrer na arena.

PÉROLAS

Eu vos exorto, portanto, não eu propriamente, mas o amor de Jesus Cristo, a usar somente alimento cristão, abstendo-vos de toda erva estranha, que é a heresia.  Aqueles que, para terem crédito, misturam Jesus Cristo consigo mesmos, são como aqueles que oferecem veneno mortal misturado com vinho melado. O incauto o toma com prazer, mas nesse prazer nefasto lhe dá a própria morte.
INÁCIO DE ANTIOQUIA (INÁCIO AOS TRALIANOS)

Não tenhais Jesus Cristo na boca, desejando, ao mesmo tempo, o mundo.
INÁCIO DE ANTIOQUIA (INÁCIO AOS ROMANOS)

Afastai-vos das plantas más, que Jesus Cristo não cultiva, porque elas não são plantação do Pai.
INÁCIO DE ANTIOQUIA (INÁCIO AOS FILADELFIENSES)

Quem faz algo às ocultas do bispo, serve ao diabo.
INÁCIO DE ANTIOQUIA (INÁCIO AOS ESMIRNIOTAS)

Suporta a todos, assim como o Senhor te suporta. Suporta a todos no amor.
INÁCIO DE ANTIOQUIA (INÁCIO A POLICARPO)

É melhor calar e ser, do que falar e não ser.
INÁCIO DE ANTIOQUIA (INÁCIO AOS EFÉSIOS)

Que ninguém olhe o seu próximo segundo a carne, mas amai-vos uns aos outros em Jesus Cristo.

INÁCIO DE ANTIOQUIA (INÁCIO AOS MAGNÉSIOS)

terça-feira, 25 de julho de 2017

O Segredo de Jim Cymbala - 2

O Segredo de Jim Cymbala - 2

A segunda carta aos coríntios é uma epístola em que Paulo defende seu ministério apostólico. No capítulo 3, ele diz estas palavras: “Ele nos capacitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do Espírito” (v.6). Podemos deduzir dessas palavras que é possível não sermos capacitados para ministrar a nova aliança ou, ainda, sermos ministros de uma aliança errada.

Na incrível passagem a seguir, Paulo diz que o que Deus escreveu numa pedra e entregou a Moisés representou um ministério que, apesar da glória que o acompanhou, era um ministério de morte. Aquilo que Deus proclamou à viva voz no Monte Sinai e que o povo jurou obedecer – Paulo chamou de ministério de morte. Agora, porém, o texto diz que fomos capacitados para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do Espírito que vivifica.

Como exemplo dos frutos desse ministério da nova aliança, vamos pensar no que aconteceu na cidade de Tessalônica. Os estudiosos não sabem dizer, com certeza, quanto tempo Paulo e sua equipe permaneceram lá, mas provavelmente foi menos que seis meses. É simplesmente impressionante o que Deus fez ali sem as Escrituras do Novo Testamento, sem aparelhagem de som, sem templos e sem qualquer estrutura física.

Leia 1 Tessalonicenses 1.4-10 e tire suas próprias conclusões. “...nosso evangelho não chegou até vós tão-somente em palavra, mas sobretudo em poder, no Espírito Santo e em plena convicção... Com efeito, vos tornastes imitadores nossos e do Senhor, tendo recebido a palavra, posto que em meio de muita tribulação, com alegria do Espírito Santo, de sorte que vos tornastes o modelo para todos os crentes na Macedônia e na Acaia... Por toda parte se divulgou a vossa fé... a tal ponto de não termos necessidade de acrescentar coisa alguma...

No Novo Testamento, quase não se encontra referência a avivamento. É preciso interpretar e analisar para ver como se encaixa a ideia de avivamento. Os termos avivar ou avivamento são mais encontrados no Velho Testamento. Por exemplo: “Aviva a tua obra, ó Senhor, no decorrer dos anos” (Hc 3.2).

Havia homens e mulheres no Velho Testamento que se encontravam com Deus e eram usados por ele para trazer reformas e uma volta à verdadeira adoração. Entretanto, logo tudo voltava a uma mera forma exterior (Is 29.13). A lei não tinha poder para transformar corações. Os profetas falavam de um dia em que Deus faria uma nova aliança com seu povo (Jr 31.31), uma aliança melhor (Hb 8.6). O Velho Testamento é caracterizado por Moisés e pela lei. O Novo Testamento é caracterizado por Jesus Cristo e pela mensagem da graça. Hoje, não vivemos mais na aliança do Velho Testamento.

Avivamento no Sentido do Novo Testamento

Dentro do conceito de reforma e avivamento no Velho Testamento, o melhor que conseguiam era fazer novos votos de obediência, os quais logo eram quebrados. No Novo Testamento, não estamos mais debaixo da dispensação da lei. Estamos na dispensação da graça. Vivemos na época do Espírito Santo. Vivemos no período profetizado pelo profeta Joel, mas que nunca foi experimentado no Velho Testamento. Vivemos sob o ministério de profetas, pastores, mestres e evangelistas, o que naquela época não conheciam. Eles tinham reis, o sacerdócio de Arão, o templo e sacrifícios diários de animais. Vivemos numa era muito superior. Vivemos na era de Jesus e do Espírito derramado.

No lugar de votos de obediência, o Novo Testamento enfatiza mais uma vida cheia do Espírito, produzindo fruto. Mais do que a exortação para obedecer, a ordem é: “Abra sua vida para o meu Espírito, para que ele produza fruto por seu intermédio”. Não somos nós, mas Cristo operando em nós pelo Espírito.

É por isso que Efésios 5.18 é tão importante. Traduzido literalmente, seria: “Continue enchendo-se constantemente do Espírito”. Por quê? Porque, como disse Samuel Chadwick certa vez, “o cristianismo é impossível sem o Espírito Santo”.  Podemos dar a lei ao povo, podemos adverti-lo sobre o inferno, podemos discipular pessoas até a volta de Jesus, mas nada acontecerá a menos que haja a bênção e o sopro do Espírito Santo sobre o que estamos fazendo.

Somente o Espírito Santo pode nos tornar semelhantes a Jesus. Somente o Espírito Santo operando dentro de mim poderá mudar esta pessoa antipática dentro de mim chamada Jim Cymbala. Com você é o mesmo caso.

O Novo Testamento, portanto, enfatiza a necessidade de estar cheio do Espírito Santo. Isso significa que nem todos os cristãos estão cheios do Espírito. Do contrário, Paulo não daria essa ordem que é muito forte na língua grega: “Enchei-vos do Espírito”, ou “Vá enchendo-se continuamente do Espírito”.

Nossas igrejas estão cheias do Espírito Santo? Cada um de nós está continuamente buscando se encher do Espírito? Lembre-se do que Jesus disse: “Pelo fruto se conhece a árvore”. Isso vale para pessoas, mas também para igrejas e ministérios. Portanto, indiferentemente do que uma pessoa ou igreja afirma a respeito de si mesma, se não houver fruto em alguma medida, sabemos que o Espírito de Deus não está operando ali. Alguma coisa está errada.

Veja por exemplo este texto em Atos 13.52: “Os discípulos, porém, transbordavam de alegria e do Espírito Santo”. Pense nisso! O Espírito Santo é a terceira pessoa da divindade! Eles estavam cheios de Deus. Será que ao menos arranhamos o significado dessa frase? Cheios de Deus!

Imagine o que significa ser cheio do Espírito Santo – não tentando viver para Deus, mas cheio de Deus! Não é nós fazendo alguma coisa. O que, afinal, eu sozinho poderia fazer? Porém eu, cheio de Deus – aí é outra coisa!

Agora, no sentido coletivo, como isso funciona? De acordo com 2 Coríntios 3, deveria ser assim: “Vocês são cartas escritas por Cristo, cartas que ele mesmo enviou, não escritas com tinta. Vocês não foram programados como quem sofre lavagem cerebral. O Espírito Santo foi quem escreveu nos seus corações. Vocês são novas criaturas por meio do nosso ministério”.

Paulo não está se gabando. Está desafiando os crentes de Corinto e a nós até hoje. “Por meio do nosso ministério, Deus escreveu nos seus corações.” É isso que eu desejo. Não é o que você também almeja – que Deus escreva nos corações das pessoas, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo? Deus nos capacitou para sermos ministros da nova aliança, não da letra, mas do Espírito que dá vida. Como em 1 Ts 1.5: “não... somente em palavra, mas sobretudo em poder, no Espírito Santo e em plena convicção”.

Catarina Booth, por volta de 1890, disse: “Palavras de fogo! É isso que estou procurando. Viajo por toda parte e ouço oratória, ouço pregações engenhosas. Contudo, estou procurando por algo que venha incendiar meu coração como aconteceu com os homens no caminho para Emaús” (Lc 24.32).

Isso aconteceu em Tessalônica. Os judeus eram contra os apóstolos e a nova igreja, e as autoridades romanas em geral também o eram. Mesmo assim, Paulo fundou uma igreja em poucos meses porque o evangelho veio não só em palavra, mas em poder, no Espírito Santo e com grande convicção. Não tinham nenhuma das vantagens modernas que temos hoje.

O Que Significa Ministério da Nova Aliança

O elemento que falta para o ministério da nova aliança é a vida cheia do Espírito. Paulo não se envergonhava do evangelho de Jesus Cristo (Rm 1.16). Ele pregava a lei para trazer convicção, mas logo acrescentava o bálsamo do evangelho, pois a lei sozinha mata. Pode trazer convicção, mas deixa as pessoas prostradas em miséria e fraqueza. Seu método era ser guiado pelo Espírito Santo.

É melhor buscar a Deus sobre o que pregar no domingo do que seguir um plano mecânico de pregação. Só Deus sabe do que a congregação precisa. Só Deus sabe que plano o diabo está armando para derrotar sua igreja. Deus pode lhe dar uma mensagem antes do inimigo desferir o seu golpe. Então, faça seu planejamento, mas seja guiado pelo Espírito.

Porém, além da mensagem do evangelho e da metodologia de ser guiado pelo Espírito, o elemento da eficácia de Paulo que nos falta hoje inclui a verdadeira motivação. Paulo disse à igreja em Tessalônica, uma igreja que tinha apenas alguns judeus no meio de uma maioria gentia: “...nos tornamos dóceis entre vós, qual ama que acaricia os próprios filhos” (1 Ts 2.7). A figura usada é de uma mãe tomando seu bebê e amamentando-o no peito. Em seguida, Paulo diz algo que tenho visto em pouquíssimos ministros em toda minha vida: era que ele e seus companheiros estavam determinados a amar tanto os tessalonicenses que estavam dispostos a dar-lhes não só o evangelho, mas a própria vida (1 Ts 2.8).

Paulo lembrou-lhes que trabalharam noite e dia entre eles, sem receber coisa alguma em troca; não que não tivessem direito de receber, mas por amor estavam dispostos a caminhar a segunda milha. Fico pensando em como deve ter sido ouvir as pregações de Paulo. Ele não só tinha verdade e não só estava sendo dirigido e ungido pelo Espírito Santo, mas era também profundamente tomado pelo amor ágape do Espírito de Deus, que o impelia com sua paixão. Era isso que ele sentia, não com relação às pessoas com quem foi criado, mas para com pessoas totalmente pagãs. O amor levou Jesus a ser amigo de pecadores. A maioria dos pastores nunca teria coragem de admitir que um pecador é seu amigo.

As pessoas precisam de amor. Paulo estava dizendo mais ou menos isso: “Eu cuidei de vocês com ternura. Eu queria tanto ir vê-los, mas Satanás me impediu. Mas no dia de Cristo, qual será minha alegria, minha coroa, meu galardão? Não são vocês? Estou enfrentando todo tipo de problema aqui em Corinto, mas agora que recebi boas notícias de vocês, posso viver, posso sentir alegria”. É exatamente como uma mãe falando com seus filhos.

Depois perguntamos por que não temos os resultados de Paulo. Estudamos sua mensagem, concordamos superficialmente com a necessidade de ser cheios do Espírito, mas ignoramos este cordão umbilical, este vínculo de amor com o povo que o ouvia, o qual somente Deus poderia dar. Isso só acontece quando o Espírito Santo nos faz ver as pessoas e sentir sobre elas da maneira que Deus vê e sente. Quando temos isso, pregamos e oramos com paixão. Quando você está apaixonado por alguém e sente desespero, você consegue tocar no seu coração.

Lembro-me de quando, anos atrás, minha filha mais velha, Chrissy, estava longe do Senhor. Minha esposa e eu estávamos com lágrimas jorrando dos olhos. Você acha que alguém precisava me exortar para orar por ela? Alguém precisou me dizer: “Jim, fale com ela!” Com lágrimas nos olhos, eu implorava: “Chrissy, não faça isso!”  Paulo sentia isso com relação a todos. Oh, como tenho orado antes de ir para o púlpito agora. “Sim, Deus, preciso da tua unção; sim, eu preciso de ti para pregar a verdade, mas ó Deus, ajuda-me a sentir sobre as pessoas como tu sentes. Ajuda-me a ver as pessoas como tu as vês, porque do contrário virarei as costas diante do que vejo nelas!”

Que Tipo de Igreja Nós Somos?

Que absurdo pensar que podemos pregar o evangelho com sucesso, indiferentemente do tipo de doutrina que temos, ou se temos ou não o Espírito e o amor do evangelho! Talvez pensemos que é algo meramente mecânico – é só falar a Palavra e a Palavra faz efeito. Não! Existe um cordão umbilical. O resultado tem muito a ver com o mensageiro. Uma boa definição de pregação é “verdade transmitida através de personalidade”. Paulo não estava somente transmitindo a verdade; estava se comunicando com eles por meio de um coração cheio de misericórdia, compaixão, amor e lágrimas.

Quantos pastores você conhece que diriam: “Eu não só quero pregar para você; estou disposto a morrer por você, se for preciso”? Não descarte isso como emocionalismo – é a Bíblia. Ninguém precisou dizer para Jesus que era hora de chorar sobre Jerusalém. Ele chorou sobre a cidade que o rejeitara. “Ó Jerusalém, Jerusalém...” Isso não é algo que se ensina; só vem quando o Espírito Santo me governa nas áreas em que preciso ser governado. Mas não alcançaremos resultados simplesmente repetindo o evangelho como papagaios, sem o Espírito do evangelho.

Você não acha que essa é parte da razão por que as reuniões de oração são tão mortas? É hipocrisia falar com Deus sobre responder às orações quando não oramos. Para alguns, é simplesmente uma questão da nossa cultura de igreja falar sobre Deus responder às orações. Quantas igrejas que você conhece tiram uma noite importante da semana, com toda a liderança presente, para dizer: “Estamos aqui para clamar a Deus”? Há um tempo para ensinar, um tempo para adorar, um tempo para o coral cantar, um tempo para evangelizar. Mas se não orarmos, o que vai acontecer em todas essas atividades?

E como você vai levar as pessoas a orarem se não se importam com ninguém? Oração intercessória significa que você sente por outra pessoa. Já observei isto: é tão difícil levar as pessoas a orar pelos outros; no entanto, basta que a filha entre numa encrenca, basta que o filho tenha um problema sério, e logo você verá lágrimas em abundância. Por quê? Porque todos nós temos amor pelo filho e pela filha, pela mãe e pelo irmão. Sem amor, não dá para levar as pessoas à oração. Pode dizer-lhes que precisam orar, que é necessário adquirir as disciplinas espirituais – mas não vai adiantar nada.

Quero ir mais um passo adiante. O que dizer do escândalo das igrejas que ficam de portas fechadas, que não abrem suas portas agressivamente a todos? Quantos pastores ou ministros, quando estão orando no sábado à noite (como se espera!) em favor da mensagem que vão pregar no domingo e em favor do culto – quantos você acredita possam estar orando algo assim, com sinceridade do coração: “Querido Jesus, eu sei que tu morreste em favor de todas pessoas da minha cidade. Sei que sofreste, sangraste e morreste em favor de todo ser humano que estiver passando perto do nosso santuário na hora do culto. Então, Jesus, peço que amanhã no teu nome, pelo poder do Espírito, que o Senhor os faça entrar – sejam de qualquer raça, sejam sem-tetos ou pobres. Faze-os entrar. Nós os amaremos. Seremos a tua mão estendida a eles. Cuidaremos deles. Abençoá-los-emos. Choraremos por eles. Envia-os para nós, ó Deus, em nome de Jesus.”

Tenho conversado com pastores bem-conhecidos sobre isso, e eles me dizem: “Se eu colocar em prática o que você está dizendo, Jim, metade da minha igreja vai levantar-se e ir embora”. Que tipo de igreja você tem? As pessoas para as quais Jesus morreu entram e seu povo vai levantar-se e sair? Você pode dizer que lhes ensina a Bíblia, que são fiéis para vir aos cultos e que servem ao Corpo. Mas não amam os outros seres humanos pelos quais Cristo morreu? Isso é cristianismo?

Não, isso é um grande pecado! A pornografia derruba seus milhares. A falta de oração, falta de leitura da Bíblia, fanatismo, emocionalismo – sou contra tudo isso. Mas Deus é amor. Os anjos devem chorar por causa da nossa falta de amor. Eles sabem que Cristo morreu em favor de toda a humanidade, no entanto, as igrejas cristãs são menos integradas que o mundo. Na cidade de Nova Iorque, as pessoas usam cocaína, assistem a jogos no estádio, convivem em ambientes culturais – tudo com gente de outras raças.

Não vamos dizer: “É uma questão cultural”. Temos de entender que é falta de amor. Falamos sobre Deus vir para o nosso meio. Por que ele viria para o nosso meio? Por que ele viria se as pessoas pelas quais ele morreu não são bem-vindas? O Espírito Santo teria de negar sua própria natureza de amor.

“Não Tenho Tempo Para Você!”

Já fui repreendido muitas vezes pelo Senhor por causa disso que estou dizendo aqui. Não está sendo fácil aprender. Vou contar uma das ocasiões em que Deus me corrigiu. Era um domingo de páscoa, alguns anos atrás. Uma garota do coral, regido por minha esposa Carol,  deu seu testemunho no intervalo dos cânticos. Ela tinha um testemunho realmente impressionante de como fora alcançada pelo Senhor num profundo lamaçal de pecado. Depois preguei o evangelho. Algumas pessoas vieram à frente tomar sua decisão. Naquela época, estávamos fazendo três cultos aos domingos, cada um com duração de duas horas.

No final daquele dia, eu estava tão cansado que simplesmente soltei minha gravata e fui sentar na borda da plataforma, com meus pés pendurados no ar. Os voluntários de oração estavam intercedendo pelas pessoas que haviam vindo para aceitar Jesus. Eu estava exausto até aos ossos. Naquele dia, as pessoas haviam formado filas do lado de fora para assistir ao culto. Centenas de pessoas tiveram de ir embora por falta de espaço.

De repente, olhei para o auditório e vi no corredor do meio um homem que aparentava ter uns cinqüenta anos, todo desgrenhado, extremamente sujo. Ele estava olhando para mim um tanto embaraçado, com uma expressão de quem queria falar comigo. Nós sempre recebemos pessoas sem-teto que entram para pedir dinheiro ou algum tipo de ajuda. Então pensei comigo mesmo (para vergonha minha): “Que jeito maravilhoso de terminar um domingo. Foi tão bom até aqui, tivemos um bom tempo de ministração, mas agora este sujeito provavelmente está aqui querendo dinheiro para encher a cara”.

Enquanto isso, ele foi se aproximando. Quando estava a menos de dois metros de distância, um mau cheiro tão forte me atingiu, como nunca havia sentido antes. Foi tão terrível que, quando ele estava mais perto, tive de inspirar olhando em outra direção, depois falar com ele, em seguida virar o rosto para inspirar novamente, porque não conseguia respirar olhando para ele.

Perguntei: “Como é seu nome?”
“Davi.”
“Quanto tempo está nas ruas?”
“Há seis anos.”
“Quantos anos tem?”
“Trinta e dois.” Parecia que tivesse cinqüenta – cabelos emaranhados, dentes da frente faltando, aspecto de beberrão, olhos vazios, levemente vidrados.
“Onde você dormiu essa noite, Davi?”
“Num caminhão abandonado.”

Sempre guardo no meu bolso alguns trocados. Comecei a enfiar a mão no bolso, pensando em pegar algum dinheiro. Nem vou chamar um obreiro, pensei. Estão todos ocupados orando com as pessoas. Geralmente não damos dinheiro para as pessoas. Levamo-las para comer alguma coisa. Mas agora... Tirei o dinheiro do bolso.

Davi colocou seu dedo na frente do meu nariz. Ele disse: “Não quero seu dinheiro. Quero este Jesus de quem aquela garota estava falando, de quem você falou. Porque não dá mais para mim, vou morrer nas ruas.”

Esqueci-me completamente de Davi e comecei a chorar por mim mesmo. Eu ia dar alguns dólares para alguém que Deus estava enviando para mim. Vê como é fácil? Eu podia até dar a desculpa de que estava cansado. Mas não existe desculpa. Eu não estava cheio do Espírito. Eu não estava vendo aquele homem como Deus o vê. Eu não estava sentindo o que Deus sente. Mas, a partir daí, como tudo isso mudou!

Davi estava ali parado, em pé diante de mim. Ele não sabia o que estava acontecendo. Eu estava suplicando a Deus: “Perdoa-me, Deus! Perdoa-me! Por favor, perdoa-me. Estou tão arrependido por te representar desta forma. Estou tão arrependido. Aqui estou com minha mensagem e meus pontos, e o Senhor manda alguém para mim e nem estou pronto para recebê-lo. Ó Deus!”

E, ali mesmo, Deus me batizou de novo com seu amor. Algo começou a acontecer comigo. De repente, comecei a chorar mais profundamente, e Davi começou a chorar porque podia sentir o que estava acontecendo em mim. Ele caiu contra meu peito enquanto ainda estava sentado ali. Caiu em cima da minha camisa branca e gravata, e eu coloquei meus braços em volta dele e ali choramos um em cima do outro. O perfume da pessoa de Cristo tornou-se um maravilhoso aroma.

Aqui está o que penso que o Senhor estava me dizendo naquele momento: “Se você e a Carol (minha esposa) não amam esse cheiro, não posso usá-los, porque foi por isso que os chamei a esse lugar onde estão. É para isso que estão aqui. Vocês estão aqui por causa desse cheiro. É lindo”.

Cristo mudou a vida de Davi. Com mais ou menos seis dias, foi desintoxicado no hospital. Tinha outra aparência. Ele começou a memorizar passagens incríveis das Escrituras. Arranjamos um lugar para ele morar. Demos um emprego para ele fazer manutenção na igreja e mandamos arrumar seus dentes.

Ele passou o dia de Ações de Graças, aquele ano, na minha casa. Ele também passou o Natal comigo. Quando estávamos trocando presentes, ele tirou um objeto pequeno e disse: “Isto é para você”. Era um lencinho branco. Era a única coisa que pôde comprar.

Um ano depois, pedi-lhe que desse seu testemunho. No instante em que pegou o microfone e começou a falar, pensei: “Este homem é um pregador”.

Na última páscoa, ajudei a ordenar Davi como pastor. Ele é pastor auxiliar de uma igreja em Nova Jersey. E eu estava tão próximo a lhe dizer aquele dia: “Aqui, tome isto; sou um pregador muito ocupado”. Podemos ficar tão cheios de nós mesmos.

Quem quer se unir a mim e dizer ao Senhor: “Eu preciso de um batismo daquele amor”? Deus nos deu esse exemplo. Ele é amor. Que Deus mude a maneira como pregamos e a maneira como oramos. Que ele mude nossas igrejas e nossas equipes. Que haja quebrantamento, ternura, amor, compaixão, misericórdia, paciência e longanimidade!


Jim Cymbala é pastor da igreja The Brooklyn Tabernacle  em Brooklyn, cidade de Nova Iorque, EUA.

Fonte: O Arauto da Sua Vinda - Ano 23 nº 1 - Janeiro/Fevereiro 2005