sexta-feira, 25 de maio de 2018

Minha decepção com o Pensamento de Agostinho

Minha decepção com o Pensamento de Agostinho

Quando tive o prazer de ler a oito anos atrás o livro "Confissões" de Agostinho, fiquei fascinado pelas suas memorias, sua conversão, sua vida me inspirou e principalmente está declaração ficou marcada em minha memória.

"Fizeste-nos para Ti e inquieto está nosso coração, enquanto não repousa em Ti."

Porém ao longo dos anos estudei suas ideias e confesso que me decepcionei, Agostinho apresentou muitas ideias controversas e que batem de frente com os ensinos da Bíblia sagrada.

Agostinho desenvolveu seu pensamento combatendo três linhas de pensamento;

Maniqueísmo 

"dualismo religioso sincretista que se originou na Pérsia e foi amplamente difundido no Império Romano (sIII d.C. e IV d.C.), cuja doutrina consistia basicamente em afirmar a existência de um conflito cósmico entre o reino da luz (o Bem) e o das sombras (o Mal), em localizar a matéria e a carne no reino das sombras, e em afirmar que ao homem se impunha o dever de ajudar à vitória do Bem por meio de práticas ascéticas, esp. evitando a procriação e os alimentos de origem animal. (Wikipédia)"

Donatistas

"Os donatistas contendiam por igrejas segundo o Novo Testamento, compostas exclusivamente dos que evidenciavam arrependimento e fé. Eles praticavam uma forma congregacional de governo da igreja. Eles batizavam os que lhes chegavam de igrejas por eles consideradas heréticas, considerando inválido o batismo de homens e igrejas que não seguiam a fé do Novo Testamento. Assim, eles eram rotulados de rebatizadores, mesmo os seus líderes acreditando que havia apenas um batismo, o batismo verdadeiro. O pastor donatista Petilian declarou: “Aquele que me acusa de batizar duas vezes, realmente não foi batizado uma vez. O apóstolo Paulo diz que há um só Senhor, uma só fé e um só batismo. Este batismo que professamos publicamente é o correto e os que acham que existem dois são insanos” (David Benedict, “History of the Donatists”, 1875, p. 49)"

Pelagianos

"Pelágio era um monge que viveu no fim do século 4 e início do século 5 D.C. Ele ensinava que os seres humanos nasciam inocentes, sem a mancha do pecado original e pecado herdado. Também acreditava que Deus criava diretamente toda alma humana e, portanto, toda alma era livre do pecado. Pelágio acreditava que o pecado de Adão não tinha afetado as gerações futuras da humanidade. Essa interpretação ficou conhecida como Pelagianismo."

Partindo do combate a essas três linhas de pensamento Agostinho desenvolve sua Teologia e seu pensamento.

O que Agostinho acreditava?

1- Agostinho foi Neoplatônico, usando termos platônicos para estabelecer conceitos cristãos.

2- Para Agostinho a única igreja verdadeira era a Católica.

3- Agostinho acreditava na autoridade da tradição e da igreja para interpretação da Bíblia.

4- Ele acreditava que o milênio estava acontecendo agora, Amilenista. 


5- Acreditava que no presente momento o diabo está preso.

6- Agostinho é o Pai do purgatório, pois ele definiu a doutrina do purgatório (lugar onde as almas dos que cometeram pecados leves acabam de purgar suas faltas, antes de ir para o paraíso).

7- Agostinho não seguia o modelo bíblico de bastimo, ele ensinava a regeneração batismal infantil.

8- Agostinho acreditava que as crianças que morressem sem o batismo são levadas ao Limbus Infantum ( a um lugar as margens do inferno onde ficavam vagando)

9- Ele acreditava que Maria nunca Havia pecado e promoveu a adoração a Maria.

10- Ele acreditava na intercessão a mortos, santos e relíquias assim como os milagres atribuídos a elas.

11- Agostinho acreditava na predestinação (Calvino tirou sua filosofia de Agostinho citando-o mais de 400 vezes nas institutas da Religião) dupla dos eleitos (salvos) e dos reprovados (condenados).

12- Agostinho acreditava que o sexo era vergonhoso, o Grande pecado atrás da miséria humana, para ele o sexo era apenas para a procriação.

 Apesar de todas essas ideias controversas que foram incorporadas ao catolicismo atual e algumas as igrejas Reformadas, o que me decepcionou realmente no pensamento de Agostinho é sua ideia de que os homens devem ser levados a adorar a Deus pelo medo, dor e punição, ele dizia que o ensino era o melhor caminho, porém acreditava que primeiramente compelidos pelo medo ou dor o homem poderia ser influenciado pelo ensino. A teoria de Agostinho contém o sistema de despotismo espiritual, intolerância e perseguição que mais tarde resultou na "Santa Inquisição". Agostinho não apenas acreditava, ele também praticou seus ensinos, perseguindo um grupo chamado Donatistas, privando 300 bispos de suas igrejas e bens perseguindo-os e até mesmo consentindo com a morte de quem pensava contrário. 




quarta-feira, 2 de maio de 2018

Superficialidade a maldição de nossos dias



Richard Foster falou em seu livro “celebrando a disciplina”
“A superficialidade é a maldição dos nossos dias. A doutrina da satisfação instantânea é um dos principais problemas espirituais. A necessidade desesperadora hoje em dia não é de um numero maior de pessoas inteligentes, ou bem dotadas, mais sim de pessoas profundas.”

Os tesouros inestimáveis de Deus não são alcançados com o intelecto e a sabedoria humana, são reservados para homens e mulheres que buscam as profundezas de Deus.

Além da nossa mente, emoções e vontade existem uma operação do espírito humano. Muitos cristãos ignoram a existência do espírito humano e o confundem com a vontade e as emoções, tal confusão afeta a cooperação com Deus, o controle do ego e a luta contra satanás.

A palavra de Deus não divide o homem em duas partes: corpo e alma, ela trata o homem como sendo Espírito que tem uma alma e mora num corpo. (Hebreus 4:12, 1 Tessalonicenses 5:23)

É uma questão de extrema importância dividir a alma do espírito, pois ela afeta grandemente a vida espiritual do crente, e falhar em distinguir o que é espiritual do que é da alma é terrível para a maturidade espiritual.
Quando o assunto é o homem em relação a sua fé e suas praticas a Bíblia é quem da palavra final, corrigindo até os mais renomados especialistas que já viveram e vivem entre nós.

Em 1 Tessalonicenses 5:23-24 Paulo diz: “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, seja, plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de no Senhor Jesus Cristo. Fiel é o que vos chama, o qual também  o fará”.

Uma reflexão sobre está passagem é imprescindível, se ela não concordar com o que dizem os psiquiatras e psicólogos, então podemos desconsiderar o que eles dizem. Conforme este verso, o homem é um espírito tem uma alma e mora num corpo. Você vê isto? Os versos dizem que um ser humano é um espírito, com uma alma e um corpo. Sendo isto a revelação correta de Deus então o homem tem uma natureza tríplice. Ele é feito de espírito, alma e corpo. Não tendo duvida que isto seja a verdade, você já verificou em que confusão estamos metidos?  Significa que no Edifício das Nações Unidas em Nova Iorque, temos uma porção de homens pensando, cheios de ideais, sentados para falar sobre os problemas da humanidade e como corrigir os homens, sem sequer saber o que é o homem. Lastimável são muitos psicólogos e psiquiatras, com três graus de doutorado, sentado num consultório, cobrando uma fortuna por hora, para falar dos problemas que as pessoas enfrentam com a natureza humana, sem saber sequer o que é o homem? Você é um espírito com uma alma e um corpo. Daí porque a Bíblia diz que o homem foi feito “à imagem e semelhança de Deus” (Gênesis 1:27). Quando o homem foi formado, Deus o fez “...do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente” (Gênesis 2:7). O homem é um espírito, o homem tem uma alma, o homem tem um corpo.

Se nosso desejo é encontrar pequenas coisas, podemos nos conformar com a superfície, mas se queremos encontrar os tesouros inestimáveis de Deus precisamos mergulhar na revelação da palavra de Deus.

segunda-feira, 19 de março de 2018

Resenha da Obra a Aldeia de Stiepántchikov e seus Habitantes Fiódor Dostoiévski


Resenha da Obra a Aldeia de Stiepántchikov e seus Habitantes Fiódor Dostoiévski

A Aldeia de Stiepántchikov e Seus Habitantes é uma comédia e um dos melhores livros que já tive o prazer de ler, sendo uma obra do Gênio da literatura Russa Fiódor Dostiéviski, escrita em 1859 na primeira fase de Dostoiévski. 

A história desenrola-se quando o jovem Sergei Aleksandrovich recebe uma carta de seu tio (que o sustenta), Iegor Ilich convidando-o para visitar sua fazenda em Stiepántchikov e casar-se com Nástienka, a preceptora de seus filhos. Chegando à casa do tio, Serguei se depara com uma casa ocupada, não apenas por seus parentes, como também por um batalhão de agregados parasitas que vivem (e fazem intrigas) em torno do tio de Sergei, tipos excêntricos dominados pela ambição e pela mesquinharia.

O interessante é que os personagens apesar de cômicos representam figuras com as quais nos deparamos ao longo da vida e nele podemos ver as paixões, desejos e, principalmente, os defeitos que marcam o ser humano. Vale resaltar que Iegor Ilich, talvez o único personagem totalmente integro e de boa índole é um fraco, tornado-se um escravo em sua própria casa.

O personagem que mais se destaca é Fomá Fomich. Antes um bufão, ele agora vive de favor na casa de Iegor, onde, por meio de discursos inflamados, convenceu a todos de que é um erudito sem igual e que apenas através de seus conselhos poderão se tornar pessoas melhores, quando na verdade, ele próprio, Fomá é vaidoso e prepotente ao extremo, um verdadeiro tirano que não perde uma chance de humilhar aqueles à sua volta. Porém, como é um falastrão de primeira, sempre consegue justificar suas atitudes e virar as opiniões a seu favor.



sábado, 17 de março de 2018

Jimmy Swaggart Antes que a lâmpada de Deus se apague

Como José venceu as tentações?

Como José venceu as tentações?

Tempos difíceis onde os sonhos parecem nebulosos tentarão fazer você esquecer de Deus, atalhos irão tentar atrai-lo, muitas vezes chamarão você, porém resista você tem um destino.

Como José venceu as tentações?

1- Porque tinha consciência da presença de Deus.

Gêneses 39:9 - como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus?

2- Não dando ouvido as insinuações da mulher de Potifar.

Gênesis 39:10 - E aconteceu que falando ela cada dia a José, e não lhe dando ele ouvidos, para deitar-se com ela, e estar com ela...

3- Fugindo da aparência do Mal.

Gênesis 39:12- E ela lhe pegou pela sua roupa, dizendo: Deita-te comigo. E ele deixou a sua roupa na mão dela, e fugiu, e saiu para fora.

Um caráter aprovado surge quando você resiste a pressão da carne, diabo e do mundo.

Schopenhauer e sua Filosofia pessimista

Schopenhauer e sua Filosofia pessimista


Artur Schopenhauer (1788-1860) foi um filósofo Alemão do século XIX, ele é mais conhecido por sua obra principal "O mundo como vontade e representação" (1818).

Sua Filosofia era sarcástica e pessimista.

Ele recomendava uma vida ascética, porém vivia cercado de luxo e luxuria.

Schopenhauer afirmava que existia um mundo de aparências, mas por trás existia uma vontade fria, escura, inflexível e irrefletida.

Segundo ele, todos nós temos a oportunidade de ver além do mundo das aparências, olhando para dentro de nós mesmos.

Na visão de Schopenhauer o mundo era conduzido por um mal cego e só podia ser combatido com recolhimento ascético.

Sua Filosofia introduziu a filosofia indiana na metafísica alemã.

Schopenhauer exerceu influência em várias figuras como Wagner, Freud, Tolstoi, Nietzche e Burkhardt.